Obra divertida conversa sobre vaidade com as crianças – Criança na Plateia

Usar a leitura para abordar diferentes temas com as crianças é uma forma assertiva de fazer com que compreendam o assunto, certo? E em um momento em que vaidade e autoestima têm estado em ênfase no mundo, é mais do que relevante conversar com os pequenos sobre isso.

A dica é a recém lançada obra, A Roupa Nova de Doralice, da escritora Monica Stahel. Conta a história de um menina do interior, que tem uma vaidade altíssima (quase fora do comum) e que chama a atenção dos moradores: ora as meninas a copiam em tudo, ora os rapazes querem lhe impressionar. Mas a sua vaidade é tanta que a cega, e Doralice acaba sendo uma menina de poucos amigos.

Querendo sempre ser a melhor em tudo e apreciar que todos a copiem, ela fica tão cega que se deixa levar por uma estilista famosa que lhe promete um vestido único, cujo qual só será visto por pessoas de alma do bem. Ela paga o valor. Recebe o vestido.

E o que ela vê? Nada. Não vê o vestido, mas acha que deve ser assim mesmo e eis que vai às ruas. Para espanto de todos, Doralice está nua. Mas é a Doralice que está nua, então isso deve ser a nova moda.

Você se lembrou de A Roupa Nova do Rei? É por aí, mas a autora nos contou que a semelhança com a história veio depois. “O caminho foi inverso, primeiro pensei na personagem inspirada nos moradores de uma cidade do interior de São Paulo que eu frequentava, recheada de pessoas bastante peculiares, depois veio o encontro com esse clássico da literatura infantil”, explica Monica.

Será que as moradoras da cidade também copiaram Doralice assim? E Doralice teria aberto os olhos e visto que a vaidade em doses altas é um caminho prejudicial? Ou todos não aprenderam foi nada e tudo seguiu como sempre?

As ilustrações são lindas, assinadas pela Luciana Romão. A edição é da Saíra Editorial e custa R$ 37 à venda pela Amazon. Clique aqui.

Sobre a autora: Monica Stahel é de Santo André, São Paulo. Formou-se em Ciências Sociais e logo passou a trabalhar na área de edição de livros. Além de tradutora, busca inspiração nas duas filhas, nos quatro netos e nas pessoas que marcam sua vida para escrever alguns livros para crianças. Foi incluída, por indicação da FNLIJ, na lista de honra do ano 2000 da International Board on Books for Young People. Para o público infantojuvenil, já publicou Um saci no meu quintal, pela Martins Fontes, Tem uma história nas cartas da Marisa, pela Formato, e O leão que rugia flores, também pela Martins Fontes

Compartilhar: